segunda-feira, 15 de julho de 2019

 

Sporting: Cenas de pré-epoca e pessoal com pouco que fazer

Boa tarde estimados picaretas,


É natural, durante esta época estival, que a malta aproveite para ocupar a cabeça com coisas que o rebuliço do normal dia-a-dia não permite.

Daí os tops de "livros para ler na toalha" "música para relaxar nas férias e "melhore o seu Alemão nas praias do Algarve".

Faz parte, tal como as selfies a mostrar o nosso melhor pé-de-atleta.

O Sporting tem tido uma abordagem interessante no mercado de Verão, fez poucas contratações, com alguma qualidade (à partida). Os valores, intermediários e as "cláusulas que há para lá" não abonam muito a favor da direcção, mas no aspecto puramente desportivo, parece-me interessante.

As excepções parecem-me óbvias, a contratação de Eduardo e a manutenção de Tiago Ilori em detrimento de Domingos Duarte.

Eu não considero que Domingo Duarte tenha condições para assumir a titularidade no Sporting, falta-lhe qualidade intrínseca para poder suceder a qualquer um dos actuais titulares, mas a lógica de adquirir Ilori por 4 milhões para depois vender Domingos Duarte por 3... Apesar de nenhum deles ter capacidade de ser titular no Sporting, a manutenção de Domingos Duarte faria muito mais sentido numa óptica de premiar quem cá está, quem nunca forçou saídas.

Quanto a Eduardo, é bom jogador, tem capacidades interessantes e parece-me até bastante superior a Battaglia, no entanto, pela amostra dos dois jogos até agora efectuados, está longe de ser o 6 que o Sporting precisa. E para há opções bem melhores que Eduardo.

Parece-me óbvio que Daniel Bragança é o jogador mais capacitado para fazer essa opção, é melhor que Eduardo em.. vá tudo. É apenas e só melhor jogador. E todos teríamos a ganhar com a sua inclusão.

Gostaria igualmente que Max fosse o Keeper escolhido para titular. Mas isso já me parecem meras quimeras.

Keizer continua a demonstrar que não sabe colocar a sua equipa a defender, não há UM processo minimamente decente do ponto vista defensivo, os mancos do Saint Gallen conseguiam entrar com bola controlada de frente para a linha defensiva de forma mais fácil que a Wonder Woman nas naves do Thanos (Spolier alert).

Está feito um resumo muito básico sobre a corrente pré-época do Sporting, simples, com pouco que reflectir, típico do Verão.

Está por isso uma merda quase tão grande como um Samuel qualquer escreveu num jornal.
Parece, entre outras coisas, que devemos ser iguais aos partidos políticos e começar a nomear delegados para as AG.
Devemos igualmente evitar que esses delegados tenha menos de 10 anos de sócio, porque toda a gente sabe que só as pessoas com muitos anos de sócio é que tomam boas decisões.
É preciso igualmente criar um conselho estratégico, orgão inteiramente diferente do conselho leonino, porque...porque.... o Samuel disse que era diferente porra!

Eu cá acho lindamente, as AG são uma maçada, só pessoas preocupadas com o Clube, com sentido crítico e ideias próprias. Que coisa tão 1970's.

Quanto a delegados caso essa proposta de alteração dos estatutos seja aprovada, pretendo que o meu seja o Sr. Luís Filipe Vieira, sócio de longa data do Sporting, que tenho a certeza, face aos anos de sócio, que tomará as melhores decisões e votará de acordo com os melhores interesses do Sporting.

Picareta Oceano
Partilha noutros estaleiros:

quarta-feira, 10 de julho de 2019

 

Jonas já vai tarde. - Opiniões polémicas

Num dia que se quer de luto entre os Benfiquistas, não consigo parar de pensar que sem ele no plantel nunca o Benfica teria sido castigado com três anos e meio de luzinhas do Prof. Bombo Vitalis.

Se trocava Jonas por futebol colectivo? Acho que não, mas não nos iludamos, isto de andar a acartar a equipa às costas durante quatro anos não pode ter ajudado a debelar aqueles bicos de papagaio.
Partilha noutros estaleiros:

segunda-feira, 8 de julho de 2019

 

Conversas no andaime: Ep. 4 - FM2034 15 anos à frente

Bom dia camaradas leitores/ouvintes,


Neste estaleiro trabalha-se com os olhos postos no futuro, neste caso em 2034, 15 anos à frente para ultrapassarmos a visão estratégica do camarada Vieira.

O Ronaldo é secretário técnico do União da Madeira, o Mourinho continua a estacionar o autocarro e Messi voltou a perder uma competição de Selecções, o campeonato IberoAmericano dos condutores de pesados de Materiais perigosos.

O BCool agraciou-nos com a sua presença, tentou pôr ordem na tasca no início, mas ao fim de 14 segundos desistiu e acabou o programa todo nu, com uma gravata na testa e o fio dental à mostra.


PS: BCool no fim do programa


Aplaudimos de pé.

Como sempre, NSFW, usar fones e repelir as crianças dessa divisão da casa:




Despeço-me cordialmente, vou tentar convencer o Bruno Carvalho a tornar-se sócio dos Bombeiros Voluntários de Freixo de Espada à Cinta, pode ser que ele aceite.

Voltaremos a meio de Agosto, com todas as novidades de mercado, supertaça, chinquilho e Beer Pong. #Ecletismo


Picareta Oceano



Partilha noutros estaleiros:

quinta-feira, 4 de julho de 2019

 

Sobre cláusulas e Comunicados.


Face ao conjunto de notícias publicadas nestas últimas horas, o Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD esclarece que é falso que esteja neste momento em curso qualquer processo negocial a propósito de uma eventual transferência do jogador João Félix.
As condições para a sua negociação são públicas e de todos conhecidas, tendo em conta a cláusula de rescisão definida no valor de 120 milhões de euros.
Mais grave, e que merece o nosso mais veemente repúdio e desmentido, é a falsa notícia que faz referência a negociações que envolvem comissões de 30% e que, infelizmente, mereceu eco em Portugal por parte do jornal "A Bola", com intenções e objetivos que desconhecemos de todo. Repetimos: essa informação é totalmente falsa, absurda e tem intenções claramente dolosaspara a reputação e dignidade do Sport Lisboa e Benfica.


A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD (“Benfica SAD”) informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que chegou a acordo com o Club Atlético de Madrid, SAD para a transferência a título definitivo dos direitos desportivos do jogador João Félix Sequeira pelomontante de € 126.000.000 (cento e vinte seis milhões de euros). Mais se informa que o Club Atlético de Madrid, SAD pagará a pronto um valor de € 30.000.000 (trinta milhões de euros) e que a Benfica SAD efetuará uma operação de desconto sem recurso dos restantes € 96.000.000 (noventa e seis milhões de euros), sendo os custos financeiros associados a esta operação de € 6.000.000 (seis milhões de euros). Desta forma, a Benfica SAD garante o recebimento do montante de € 120.000.000 (cento e vinte milhões de euros) no momento da transferência do jogador. Por último, de referir que os encargos com os serviços de intermediação relativos a esta transferência ascendem a € 12.000.000 (doze milhões de euros) e que o Club Atlético de Madrid, SAD será responsável pelo pagamento do valor do Mecanismo de Solidariedade devido a clubes terceiros, o qual não poderá ser deduzido ao montante da transferência acordado com a Benfica SAD acima mencionado.

Como disse a malta do Ontem... Sorria, você foi Vieirado. Os negritos são meus. 
Partilha noutros estaleiros:

segunda-feira, 1 de julho de 2019

 

Sporting: Dizer sim porque sim e Vice-versa

Bom dia estimados leitores,


Mais uma assembleia, mais uma ficha, mais uma voltinha e mais uma moeda.

A criança não paga, mas também não anda, tal é a pornografia que por lá se assiste.


Mais momentos tensos, mais Brunistas (Cala-te) vs Varandistas (respeita) vs Beneditistas (Estás vivo?) vs Cintristas (ainda estás vivo???).

Um espectáculo degradante, para fazer as vontades à CMTV. 
Um presidente da Assembleia Geral do Sporting que não sabe que tem que ler uma acta, um Presidente que não une, apenas desune, um ex-presidente que não se cala, adeptos que não pensam pela sua cabeça, sócios de cabeça perdida, avenças que afinal existem/nunca existiram/deviam existir.

Sempre disse que em política era um erro votar nos partidos como se de Clubes de Futebol se tratassem. Continuo a achar o mesmo.

Acredito sinceramente que deveríamos era gostar do nosso Clube de Futebol e votar em função daquilo que é melhor para ele.

Hoje em dia, votamos sim porque sim e não porque não.

E Vice-versa.

Um clube em queda acelerada, outra vez.....



Picareta Oceano

Ps: Por falha de agenda não foi possível fazer o Podcast. Sábado voltaremos, com os andaimes todos montados e colher de pedreiro em riste.
Partilha noutros estaleiros:

quinta-feira, 27 de junho de 2019

 

Cantiga d'embalar dragões

Incauta vai ao mercado

Incauta vai ao mercado
A Porto SAD com prejuízo;
Vai musculada e sem juízo.

Leva na cabeça o pote,
Na estante o dragão de prata,
Se acaso é fina a jogata,
A comissão é um fartote;
Traz a cartinha do filhote,
Mais intocável qu'o Paraíso.
Vai musculada e sem juízo.

Descobre um ponta-de-lança,
Um guarda-redes e um extremado,
Um médio-centro de pujança,
Mas vai tudo pra outro lado.
Chove nela tanta desgraça,
Que dá choro de tanto riso.
Vai musculada e sem juízo.
Partilha noutros estaleiros:
 

Sporting: Sábado há uma AG

Bom dia estimados leitores,


Sábado temos AG do Sporting Clube de Portugal.

Esta AG destina-se apenas aos sócios que moram em Lisboa, na medida em que a informação a ser discutida na dita AG está apenas disponível no balcão de atendimento presencial.

Atente-se igualmente que a AG destina-se a validar um orçamento que tem como objectivo reduzir os apoios às modalidades e aumentar custos de contexto como a energia (+300k) e de estrutura, ao mesmo tempo que se diminui os ganhos com a Gamebox e ganha-se em bilheteira extemporânea, privilegiando assim quem vai ao estádio de vez em quando, não quem é fiel e está sempre lá, quando ganhamos ou quando perdemos. Isso é coisa de adepto, nunca de cliente.

Aproveito para realçar que a CGD deverá ter retirado o seu patrocínio à bancada do estádio, tendo sido substituída pela Sporting TV, o que permitirá que mais dinheiro do Clube seja canalizado para a SAD.

Assim sendo, sou plenamente favorável à aprovação do orçamento, é compatível com o Status Quo da direcção actual que foi votada por maioria nas últimas eleições (maioria de votos, não de pessoas).

Queria agradecer, publicamente, à comissão directiva por cobrar 80 euros pelo summit que anteriormente era gratuito e por ter alterado a data da chachada da Gala Honoris, ao fim ao cabo aquela porcaria está nos estatutos mas nem faz sentido, deveria ser terminada.

Já agora agradeço que vendam a SAD com a maior urgência possível, pode ser que o futuro comprador ainda consiga pôr as mãos em 50% do contrato com a NOS, também não quero que essa rapaziada entre sem um colchão para a sua almofada (Pun absolutely intended).

Espero que os associados de Lisboa presentes na próxima AG (serão os únicos, como sabemos) expulsem o anterior Presidente com a maior urbanidade possível, já que o seu envolvimento em Alcochete foi provado e transitado em julgado de forma bastante eficiente pela Juíza Tânia Laranjo.

Quero, para finalizar, agradecer a todos os que contribuíram para que o grande Sporting Clube de Lisboa ganhe agora a forma final desejada pelas pessoas que votaram na actual comissão directiva.

Bem haja, de forma urbana e cordata.

Picareta Oceano

PS: Sábado temos o último Podcast antes da interrupção para férias. Abaixo encontram-se os anteriores




Partilha noutros estaleiros:

quarta-feira, 26 de junho de 2019

 

Conversas no Andaime: Episódio 2, a realeza vem ao Blog

Bom dia estimados leitores e ouvintes,


O Artur Semedo, autor de alguns dos mais míticos Blogs deste canto à beira mar plantado, foi o convidado do 2º episódio do nosso podcast.

Quem disse que a realeza não se mistura com a plebe estava redondamente enganado, não só foi profundamente jucundo ter o Artur connosco, como ele se revelou adaptado ao ritmo do blog (2 Arrotos e 7 palavrões por cada parágrafo).

Há cerveja e vinho a rodos, estávamos à beira do São João, se não fosse essa data teríamos que inventar outra desculpa qualquer.

Mais uma vez alertamos para que ouçam com fones, não queremos que a vossa família pense que andam mal acompanhados.

Mas sim, vocês andam.




No próximo sábado vamos fechar a época, em dia de Assembleia Geral no Sporting, 78ª capa de A BOLA sobre João Félix e a enésima contratação de um jogador do Portimonense pelo Futebol Clube do Porto.

Não percam seus cabrões.


Picareta Oceano
Partilha noutros estaleiros:

sábado, 22 de junho de 2019

 

Sporting: Malta que chapa massa da boa.

Bom dia estimados leitores,


Para quem andou distraído saiu a primeira revista feita, por exclusiva carolice dos seus intervenientes, por adeptos de um clube dedicada ao seu clube.

Apesar de não existirem notícias sobre se o João Félix atou correctamente os atacadores esta manhã, não desanimem, quando o referido atleta vestir a camisola do Sporting Clube de Portugal os escribas falarão sobre ele.

É um projecto feito por Sportinguistas para Sportinguistas, ecléctico, honesto e com um profissionalismo que não abunda em publicações profissionais, quanto mais nestas feitas de amor à camisola.

Deixem-se de merdas, inundem-se de Sportinguismo e esqueçam os divisionismos que não levam a lado nenhum.

Vocês têm três coisas a fazer neste momento:

1) Deixar um comentário insultuoso na respectiva caixa deste blog (nada de elogios, não temos paciência para obras bem feitas, para nós uma parede torta é uma vitória);

2) Ir ao site da Revista1906 e Subscrever a Newsletter;

3) Fazer o Download do 1º número da Revista;


Só depois destes 3 passos podereis reclamar o vosso lugar no céu.

Apoiem esta malta, eles merecem:


PS: Hoje há podcast, podem ouvir os episódios anteriores, são importantes na medida em que não estão minimamente interligados. mas têm pedreiros bêbedos.

Picareta Oceano
Partilha noutros estaleiros:

quinta-feira, 20 de junho de 2019

 

Empreitada sub-contratada - Atenção, João: com grandes quantias de dinheiro, vem grande responsabilidade

Blessing Lumueno é dos melhores escribas sobre futebol que a blogosfera conhece. Neste caso não foi tanto de sub-contratássemos, foi mais apoderámo-nos da obra, com a devida autorização de replicação. Porquê? Porque é bom para o debate sobre que tipo de formação queremos!

Para lerem o original, e recomendamos que o façam mesmo depois de ler este, é clicar no título abaixo. É um link, é!

Atenção, João: com grandes quantias de dinheiro, vem grande responsabilidade
Temos por hábito dizer, do alto da nossa sabedoria, e pela distância que temos das situações em que as personagens mediáticas estão envolvidas, que na mesma situação delas resolveríamos o problema, e que as nossas ações seriam sempre as mais adequadas. São raros os que de nós colocam incerteza sobre o seu próprio comportamento, quando nos é colocada uma situação paralela às que são mais faladas pelo grande público.

Ao João Félix, por exemplo, é pedido que, com 19 anos de idade, decida sobre aquele que pode ser o momento mais importante e mais marcante da sua vida, com a sapiência dos grandes.

Pedem-lhe que decida como José Boto, que tem mais experiência, mais informação e mais conhecimento de todas as culturas e contextos futebolísticos do que os cabelos brancos que tem na cabeça. Olhem que não assim tão poucos!
Pedem-lhe que seja Rui Malheiro, e use a sua capacidade para analisar equipas, formas de jogar, e as enquadre dentro das suas próprias qualidades, dos seus defeitos, do que pode aprimorar, do que precisa mesmo de aprender; e ainda lhe pedem que faça uma projeção do que quer ser no futuro.

Pedem-lhe que seja Helena Costa, e consiga perceber dentro de todo esse contexto que: não havendo condições para que ele se possa evidenciar e fazer um bom trabalho, por mais tentadora que seja a posição onde lhe colocam – pela notoriedade -, por mais euros que entrem na conta, que não deve ceder aos caprichos externos e que a decisão deve ser única e somente dele.

Pedem-lhe ainda que seja Vitor Frade, e que consiga articular todo esse pensamento, e dar expressão a uma teoria explicativa do porquê de um miúdo de 19 anos, que ainda há pouco tempo passava férias pagas pelo pai do amigo, recusar uma proposta que vai transformar por completo a sua vida.

Em termos de jogo, quer-me parecer que, pelo valor que o Atlético de Madrid está disposto a pagar, Simeone vai apostar de forma inequívoca no talentoso avançado. E essa aposta é um dos factores fulcrais para que Félix se sinta tentado a assinar pelos colchoneros: vai ter protagonismo!

E se assim for, se o treinador o libertar das rígidas tarefas defensivas e da abnegação que ele exige em todas as ações sem bola, creio que triunfará. Porém, o triunfo estará sempre ligado ao número de golos e assistências, uma vez que no modelo de jogo preconizado pelo treinador argentino pouco espaço há para que o jovem avançado se possa evidenciar em outra esfera que o torna verdadeiramente especial: o jogo entre setores.

Do ponto de vista do seu crescimento como jogador, a mudança para Madrid pode ditar de forma definitiva que tipo de jogador será. É certo que ele tem o talento necessário para vingar, tem o talento para fazer golos e assistências se receber a bola em condições no último terço, mas não menos verdade é que ele é muito mais, pode dar muito mais, pode participar muito mais, e ser decisivo em muitas mais situações do que apenas naquelas em que termina a jogada. Sem esquecer que El Cholo é um treinador que procura sobretudo o rigor e agressividade defensiva, na maior parte das vezes com as linhas baixas, e as situações em que recebe a bola podem não ser as mais adequadas.

Se os primeiros jogos correrem bem, sendo que o treinador não poderá esconder €120 milhões no banco e dar-lhe tempo para crescer sem muita pressão e sem grande responsabilidade, João Félix será a chave de todo o sucesso, mesmo quando não estiver diretamente implicado. A imprensa e os adeptos vão tratá-lo desta forma: como o fator diferenciador na equipa, ainda que não tenha feito essa diferença em campo – e acabará por ser esse o seu principal desafio, uma vez que o talento não é condição suficiente para que se tenha sucesso no futebol.

A imprensa espanhola é super agressiva, quando se trata de jogadores estrangeiros, e há o problema da expectativa que o valor avultado da sua transferência irá criar. Assim como poderá ter o mérito de tudo, também terá o demérito. Como Messi e Ronaldo, o criativo avançado será o grande alvo de todas as críticas quando a equipa não tiver o resultado esperado, ainda que não seja responsável de todo. Essa pressão será tremenda, e surgirá de todos os lados: da imprensa, dos adeptos, dos adeptos rivais, do clube, dos próprios colegas. Quando a defesa falhar, culpa de Félix, quando os médios falharem, culpa de Félix, quando o treinador falhar, também será ele o culpado.

Falando mal e depressa, não é um ambiente de sonho para um jovem de 19 anos que, convém lembrar, tem menos de doze meses na primeira divisão portuguesa. Há ainda outro fator que pode não o ajudar: o seu estilo de jogo. Não é um jogador vistoso e que chame a atenção pelo que faz. Não tem um drible espetacular, não é particularmente veloz, não é robusto e foge do choque. Para se conseguir entender o que ele faz de diferente, para lá do golo, é preciso ir detalhe. Sem microscópio, é muito difícil perceber a superioridade do miúdo, e por aí ficará abandonado aos momentos de último terço, que serão sempre em muito menor número do que os restantes.

Se for para o Wanda Metropolitano, João Félix apenas conseguirá ser aquilo que os golos e as assistências lhe permitirem – uma vez que é essa a responsabilidade que todos lhe vão imputar depois da saída de Antoine Griezmann (a maior estrela da equipa), e do valor astronómico da sua transferência.
Partilha noutros estaleiros:

quarta-feira, 19 de junho de 2019

 

Direi mesmo mais - Considerações sobre Decreto Ministerial.

O excelente texto do Ministro Rui Monteiro será certamente fruto de uma análise mais cuidada em futuros episódios do Conversas no Andaime. Enquanto tal não sucede, porque nisto podem sempre haver problemas com fornecedores, uma greve nos transportes, uma inspecção da ACT ou pior, do SEF, permito-me realizar aqui alguns pensamentos que despoletou em mim.

A nota prévia que se impõe é que este texto dificilmente se propõe ser uma resposta. Como dou a entender no título, será muito mais uma repetição do nível Dupont e Dupond, só que neste caso feita por alguém com infinitamente menos capacidade intelectual. No fundo, no fundo, aquilo que faz distar o Ministro das Obras Públicas de um trolha no estaleiro.



O primeiro comentário que me merece o texto é que há a meu ver duas situações imensamente bem explicadas. A primeira a do negócio em que o futebol se tornou ("Se há lucro e acionistas bem remunerados pelo capital investido, o objetivo está cumprido e os meios pouco importam."); a segunda aquilo em que a perda de competitividade do futebol português transformou os adeptos ("Os adeptos passaram a festejar transferências como quem festeja golos, vitórias e títulos."). Se faço uma distinção entre futebol, fenómeno global, e a modalidade que se pratica na República Portuguesa, é porque sinto que tal se impõe. E onde discordo do Decreto Ministerial é precisamente por não mencionar tal distanciamento.

Na verdade, nem sequer é preciso ir aos exemplos culturalmente antitéticos dos países do centro da Europa ou das competições Inglesas. Basta olhar para a vizinha Espanha, para a muito parecida Itália, ou para as distantes Grécia, Turquia e Roménia, para verificar que em nenhum destes países há um campeonato de transferências como o que se verifica em Portugal. E se nos casos Espanhol e Italiano, por serem, digamos assim, Campeonatos Predadores de Talento, a comparação poderia ser fraca, na verdade é que nos outros casos fica mais complicado de explicar.

Podemos então entrar pela questão do 'Ah, mas esses não são formadores!' Que constituiria apenas um espantalho na discussão. Relembro que estamos a falar de como os adeptos passaram a celebrar a venda de um activo do clube com igual ou mais paixão do que os títulos. Na falta de títulos para o museu (e mesmo quando os há...) não faltará então quem tente ir buscar um qualquer recorde rebuscado (melhor marcador dos médios centro que jogam, à frente da linha de meio campo; melhor ponta de lança com mais de 28 anos e que tenha jogado no clube P; melhor guarda-redes que jogou no País A e G, com dupla nacionalidade e mais de 1,85 metros de altura; etc), com cumplicidade e até encorajamento de uma imprensa a definhar e a precisar de vender qualquer coisa, a qualquer custo, para agradar a qualquer ego.

Ora, sucede que, como disse recentemente, eu sou do tempo em que o Presidente do meu clube querer vender o melhor jogador deu direito a motim interno dos adeptos. E isso ocorreu há menos de 20 anos. Neste momento os que se borram todos de pensar que o clube volta a esses tempos encorajam a que o Presimente ande pelo Mundo fora a vender não apenas o melhor, mas todos os que sejam de muito bom para cima! São aqueles que olham para o campeonato das transferências como um fim em si e não algo que surge como consequência da excelência desportiva do clube. Só assim nas suas cabeças faz sentido a existência do Parceiro Preferencial, que só serve para afastar os melhores. E mais irónico ainda, há quem nos rivais inveje este estatuto e queira fazer parte. É "O dinheiro gera dinheiro" tornado objectivo do clube de futebol de que nos fala o Rui Monteiro.

Ora, a mim isso causa-me alguma estranheza. Sem bons jogadores, será impossível termos um campeonato nivelado por cima. Sem capacidade de prender bons jogadores, ficará igualmente complicado atrair bons treinadores. Sem bons jogadores e bons treinadores o produto futebol que podemos dar será uma merda e isso afasta patrocinadores e público alvo, num mercado cada vez mais global. Já para não falar das geniais participações de clubes na Europa. Quando vejo aqueles apelos a "apoiar os clubes Portugueses na Europa" por causa do "ranking da UEFA", repetidos à exaustão pelos adeptos do campeonato das transferências, a estranheza cresce para um nível 'Svilar na lista para Golden Boy'.

E é aqui que entra a questão do futebol global. Cada vez mais, em cada vez mais lado, há a percepção deste ciclo virtuoso. E se ter dinheiro, ainda que sujo, ajuda, não o ter permite uma percepção mais precoce de como conseguir ser relevante.

Daí que campeonatos menores, como o Holandês (ranking UEFA abaixo de PT; consequentemente menos equipas na Europa; menos dinheiro a circular de patrocinadores; país de dimensão comparável) tomem medidas para aumentar a competitividade em campo. Ou a aposta de todos os clubes Belgas, em formação, mesmo que neste caso com forte apoio do Governo Federal. Melhores jogadores, melhores treinadores, melhor produto para vender. Máxima essa que é também seguida pelos endinheirados. Que vão, cada vez mais, a estes campeonatos empobrecidos em busca de talento que alimente as suas máquinas.

E isto traz-nos de volta ao campeonato Português. O campeonato das "melhores formações" do Mundo, incapaz de formar jogadores aptos para os campeonatos mais exigentes. O campeonato dos campeões da Europa, incapaz de ter clubes a discutir ombro a ombro com os maiores da Europa. Um campeonato de recordistas de vendas, onde falta dinheiro para atrair talento ou para sequer o segurar. É azar? É sintomático? Não sei, mas gostava que os adeptos do campeonato das transferências me dissessem.
Partilha noutros estaleiros:

terça-feira, 18 de junho de 2019

 

Futebol: O Ministro das Obras Públicas Rui Monteiro

Boa tarde caros leitores,


Quem nos lê e quem nos ouve sabe perfeitamente que os pedreiros do Estaleiro são maledicentes.

Gostamos, engrandecemos e martelamos a arte da crítica acéfala, sem conteúdo e sem fundo.

No fundo, ou seríamos pedreiros ou cabeleireiros, mas o nome do Blog não é o "salão de beleza".

De entre os pedreiros da nossa praça merece destaque o grande Rui Monteiro do Insustentável Leveza de Liedson.

Escreveu hoje aquele que será o melhor texto que li este ano.

Faz favor de sair daqui e ir ler, clicando no endereço abaixo:




Picareta Oceano
Partilha noutros estaleiros:

segunda-feira, 17 de junho de 2019

 

Rant de Mercado - Parcerias Preferenciais

Segue abaixo uma série de tweets que publiquei hoje.

Vamos falar um pouco, repetindo o que já foi dito aqui e ali, sobre a ainda não oficializada venda de Félix. Que não é a venda de Félix mas a venda de um rol de pérolas Benfiquistas ao longo de uns extensos anos. Que enriqueceram apenas quem quer que tenha recebido as comissões.

Mais uma vez, o Atlético de Madrid surge no caminho de um cabeça de cartaz da Luz. Depois de Simão e de Gaitán, jogadores que se tornaram verdadeiras lendas em Madrid, certo? Logo, se os compram para o banco, quem os quis comprar inicialmente?

No caso Félix, diz-nos a imprensa, que é para substituir Griezmann. Mas será? Será uma equipa "aguerrida" e que não priveligia a técnica, olha para Félix e pensa "boa solução"?

De seguida há a equipa em si. Uma equipa onde Gaitán teve dificuldades em se afirmar - bom, onde nunca o fez! - quer um jogador com as características de Félix. A sério? Ao ponto de entrar numa loucura só comparável ao PSG por Neymar, Juventus por Ronaldo ou Man Utd por Pogba?

Agora, se tudo isto ainda está no domínio dos desejos do Atlético, porque se devem os Benfiquistas preocupar? Para já, pelo evidente enfraquecimento da equipa. Alguém se lembra da última vez que o Benfica se meteu em negócios com o Atleti e saiu fortalecido com isso?

E vendo aquilo que o Benfica "recebeu" desses negócios, quantos jogadores foi o Benfica a correr comprar inflaccionados ao Atlético? Quantos jogadores importantes demos a troco de entulho deles? Quantas vezes nos enfraquecemos a troco de os fortalecer?

E nestes negócios todos há um ele preferencial que está lá sempre. Nisso e em empréstimos "com umas cláusulas". E essas cláusulas nunca servem para nos fortalecer. Nunca são os interesses do clube que são salvaguardados.

A título de exemplo, o Ajax, numa liga com menos vagas europeias do que a liga PT, dá-se ao luxo de dizer "70 milhões pelo Neres? não estamos vendedores...". Isto depois de lá terem aceite dispensar o de Jong por 75 M€ e de se falarem de números semelhantes pelo de Ligt.

Ou seja, se o clube não quer vender, não anda pelo Mundo a oferecer e deixa que os desempenhos dos jogadores o façam. E compra treinadores que melhorem esses desempenhos. E paga, a jogadores e "estrutura", de forma que se justifique os milhões que se pedem.

E o que fazer ao entulho, aqueles que contratámos e não resultaram? Aí já o "preferencial" não serve. Eu diria que entre Sálvio, Taraabt e Lisandro, 30% da transferência de venda tinha sido de facto uma paga por bons serviços. Mas para esses já não é parceiro...

O que nos leva a: por estrutura ali não se entenda o parceiro preferencial (que se calhar é parceiro desde os tempos do clube de vídeo e pneus recauchutados). É pagar a um JJ qq em vez de um Professor Bombo. Com tudo o que isso tem de mau e de bom.

Isto para dizer o quê? É insultuoso que o Benfica ainda negoceie com Atlético. É insultuoso que o Benfica não diga ao Félix: desses senhores são 120M€ a pronto na conta do clube. É insultuoso os pinotes que o clube dá para meter o Mendes nos negócios todos. Até porque...

[faltou este: ...Na hora de ajudar a tirar entulho do clube o preferencial torna-se o ausente.]

Depois o lado do jogador. O Félix tem 18 anos ou coisa que o valham. Tem tudo para dar Quaresma ou Cristiano. O que vai diferenciar a coisa é decidir na secretaria como decide no campo. Porque se se deixa ir na conversa do Presimente e Parceiro Preferencial, acaba o novo Renato!
Partilha noutros estaleiros:

domingo, 16 de junho de 2019

 

Um bilhete para o Varandas

Boa tarde Estimados Picaretas,


Enquanto escrevo inicia-se a "negra" do Campeonato de Futsal.

Joga-se no pavilhão da Luz e resta-me desejar que decorra dentro da normalidade e no fim que ganhe o melhor e que o melhor seja o meu Sporting.

O que me traz hoje aqui é algo inteiramente diferente.

O Sporting teve direito a um determinado número de bilhetes, podendo distribuí-los como bem entende.

Um entidade de bem faria chegar os bilhetes a quem apoiou desde o início as modalidades do Clube, nos bons ou maus momentos, quando estamos na luta ou quando já estamos fora dela.

Esses merecem tudo do clube, estão sempre presentes, nunca saram a garganta porque o volume de jogos não permite tal luxo.

Quando o Sporting esteve a 30 segundos de perder o campeonato de Futsal, foram eles que resgataram a equipa do inferno, eram eles os presentes a sofrer, a chorar e gritar Sporting.

Hoje, jogo de elevado nível mediático, houve 8 (OITO!) bilhetes para vender a esses grandes Sportinguistas. Aqueles que assistiram a 100+ jogos do Sporting este ano vão ter a oportunidade de ver em casa, ou no café, o seu amor. Não no pavilhão.

Tudo porque agora, que podemos estar na luta, os parceiros e sponsors já querem aparecer.
Onde havia cadeiras vazias hoje há Duques, Marqueses e outros visíveis.

Isto é tudo menos Sporting, é um revitalizar de uma casta que não sofre Sporting, não consome Sporting, apenas usa o seu nome, o seu símbolo e a sua cor para ganhos directos de visibilidade.

Cabe à direcção permitir que quem sofre Sporting mantenha o seu lugar quando a visibilidade é grande.

Como tal não foi feito, ofereço eu um bilhete ao Presidente Varandas:


Picareta Oceano

Partilha noutros estaleiros:

sexta-feira, 14 de junho de 2019

 

Hora de Fecho - Contagem de Picaretas no Seixal.

Com a época de futebol a sério encerrada, é chegada a hora de fazer o balanço do ano. A minha ideia inicial é a de dedicar uns textos a esse balanço. O primeiro será este, dedicado a opinar sobre as picaretas que vimos a passearem-se em campo com o Manto Sagrado.


Para que não se confunda isto com um exercício académico, daqueles textos que se acham muito importantes porque o seu autor é o mais incompreendido génio oculto, desde já aviso que é um texto que se lerá melhor numa esplanada, com um pires de caracóis e uma imperial ao lado. Sim, porque aqui no Estaleiro não nos confundimos com um espaço de análise séria! Não que encaremos aquilo que fazemos com leviandade. Somos exigentes na qualidade que exigimos. E a primeira equipa a quem o pedimos, é à nossa. 

No que toca a exigência de qualidade, no caso do Benfica, tem de se começar logo pela baliza. Por esta altura já não é segredo nenhum que não só acho que Svilar e Vlachodimos juntos não fazem um guarda-redes de clube grande, como que Varela teria todo o direito a poder sonhar com a titularidade. E quando oiço que uns apesar de intervencionado ainda conseguem entrar nos rumores de grandes Guardiões internacionais, imagino o que nos impede de o fazer. (Se for o salário do Félix, então tudo bem). A exigência de qualidade faz também com que se estranhe a presença de Jardel na defesa, e ainda por cima com a braçadeira, como se não houvesse outro jogador que parece claramente mais agregador e digno transportador da mística. Ao nível do meio campo, um dos grandes erros do defeso foi corrigido em Janeiro, mas convém lembrar mais uma vez como a forma de fazer negócio do Presimente e do Parceiro Preferencial muitas vezes acabam a sabotar a equipa. Já na frente, não é que Seferovic seja mau, mas não é jogador de excelência e, jogue bem ou mal, tem lugar garantido por falta de concorrência.

Vamos lá então ao insulto gratuito e personalizado.

Vlachilar – Mais vale juntar tudo. Se fosse possível uma fusão dragonbálica e o resultado fosse um guarda-redes no primeiro ano de júnior, o Benfica teria um talento interessante. Conquanto a fusão apenas guardasse as coisas boas. Desde a capacidade de Svilar em jogar fora da pequena área à tranquilidade de Vlachodimos entre os postes em situações de bola corrida. Desde que não sejam cruzamentos. Ou remates. Ou... Eh pá esqueçam. Digamos que se a minha avó tivesse asas, seria um avião se aplica às balizas do Benfica de forma dolorosa. Ó Varela, desculpa lá o que disse de ti, largas as stroopwafels e volta para a sardinha assada!
Veredito - Guardar o Grego se ninguém lhe pegar; emprestar Svilar.

André Almeida – Parece ser, como o Insónias frizou, um bruxo voodoo. Tudo o que é concorrência sofre de lesões graves. Desde Ebuehi e Corchia este ano, à grave lesão mental de Douglas o ano passado, desde que Nélson Semedo foi para Barcelona que o Almeidinhos é o nosso gato de Schrödinger: só se sabe se está vivo ou morto quando vai a jogo. Que é como quem diz se é o nosso melhor ou pior lateral direito. Quando se é o único, esta dicotomia fica preocupante.
Veredito - É um jogador útil e tem uma função a cumprir como capitão. Não pode ser o titular, e precisa de concorrência.

Jardel – Deveria voltar à Olhanense para encerrar a carreira em grande. Partilha com Luisão a nacionalidade, a posição e a lentidão, certamente os critérios para se ser o carregador da mística no Benfica, nos dias que correm... Demonstrou ao longo da época ser pior central do que Samaris, Conti ou Lema.
Veredito - Ontem já ia tarde...

Conti e Lema - Conti ainda está a aprender, espero que não pelo método Lisandro López; Lema deixou saudades no único jogo que fez. Jogou uma merda? Certo, mas mesmo assim sempre que vi Jardel em campo ficava com saudades dele. 
Veredito - Acho que Conti ainda pode ser útil, assim ganhe algumas noções defensivas. Lema já era.

Yuri Ribeiro não Cervi – Vamos fazer aqui um outro 2 em 1. Cervi não serve para extremo neste plantel, uma vez que nessa posição está num processo acelerado de Salvização. Por outro lado, das vezes que vimos Yuri Ribeiro jogar, ficamos com a sensação que o Argentino de mau gosto capilar está para Yuri Ribeiro como Fábio Coentrão estava para Bruno Cortez.
Veredito - Yuri, você é o elo mais fraco. Adeus! Cervi, compreende, o plantel só tem lugar para nenhum Sasno. Como já temos um, já excedemos a quota. Ou te tornas lateral ou é melhor ires para outra freguesia.

Fejsa – Não. Já não dá. A mudança de Bombos da Luz para equipa de futebol fez com que Fejsa passasse de Salvador Desta Merda Toda para Lesionado Crónico que só Engonha. Não é nenhum Alfa Semedo, mas claramente está para lá do que uma equipa com a ambição que o Benfica deve ter necessita.
Veredito - Give this man a golden retirement plan!

Alfa Mete-Medo – Nunca desejei tanto que a expressão "tem para lá umas cláusulas" envolvam compra obrigatória. Qualquer coisa acima de um pacote de torresmos e o bilhete de avião será um negócio excelente, que mesmo assim não compensa o favorzinho de #carrosselmendista que representou a sua repescagem.
Veredito - Tenho insónias só de pensar que pode voltar.

Sasno – Não acredito que ainda faz parte do plantel. É mandar para o Professor Bombo na Arábia e transferir o seu ordenado inteirinho para o Félix. Ouvir o Presimente dizer que não há dinheiro para pagar ao Félix ao mesmo tempo que financia este lesionado crónico é insultuoso. Espero que nos imeiles se descubra que afinal o ordenado dele é pago pela instituição hospitalar que patrocina o clube.
Veredito - Se (quando?) o Félix sair porque não se pode competir com não sei quantos milhões por ano, este calhau com olhos e sem joelhos ainda estiver no plantel, devia-se atirar pedras a tudo o que seja candeeiro na estrada entre a casa do Presimente e o Seixal. Não vá ele ver mais luzes...

Ferrillo Casteyra– Um era um armário cuja valia era como parede para a bola ressaltar. O outro nunca percebemos bem. Foram-se embora e deixaram o ataque do clube entregue a...
Veredito - Se não vier mais ninguém para a frente, encurtar o empréstimo de Ferreyra poderia não ser uma má opção... Numa lógica de ter concorrência ao Suissinho, pelo menos.

Dr. Haris e Herr Cepovic – Não se pense que é um novo gato de Schrödinger. Não! Dr Haris e Herr Cepovic manifestavam-se várias vezes no decorrer da mesma partida. Será aqui mais um corolário do princípio da incerteza de Heisenberg segundo o qual só se sabe qual o que está em campo quando a bola transpõe a linha de fundo.
Veredito - Se não vier ninguém ficamos com ele, mas há claramente a sensação de que se aparecer um mendilhão a pronto nas contas do clube (ou seja um negócio de três mendilhões), é deixar ir. Podes enganar muitos pouco tempo, ou poucos muito tempo...

Rui "Professor Bombo" Vitalis – Treinador destes cepos todos!  A sua contribuição mais valiosa foi ter-se ido embora. Podia ter ido três anos e meio antes, que é como quem diz nem ter vindo, mas certamente o Presimente teria ido buscar um outro Zé Mota da vida. Disse, em jeito de ressabiamento, que o que lhe soube bem foi ganhar na Arábia. E diz que como profissional que é não se importaria de treinar um clube rival do Benfica. Face a esta disponibilidade, as saudades que adeptos de Sporting e Porto sentiam começaram a desvanecer. Já os Benfiquistas veriam com agrado o seu regresso a Portugal. Desde que não para o Benfica
Veredito - Gostava que voltasse a Portugal, mas para um qualquer clube a Norte da Segunda Circular. Um qualquer. Não importa qual. Tem é de ser a Norte da Segunda Circular.

Menção Honrosa:
Presimente Bigodelhas – Foi uma luz que lhe deu para continuar a boicotar a equipa. É o interino que afinal foi aposta desde a primeira hora. Tem uns grandes tomates mas é para nos tomar a todos por parvos. Eu diria que ainda há muitos, mas cada vez menos. E com cada vez menos pachorra para o #carrosselmendista. Há promessas vãs que os seus pontas de lança na blogosfera já começaram a relativizar, que é como quem diz, em breve se atirará mais cimento aos olhos dos Benfiquistas. Benfiquistos como ele já deveriam ter sido erradicado do clube. Mas ainda há demasiada gente a achar que o clube foi fundado por ele. Nem que passem cem anos caro Aureliano, recordarás aquela tarde em que visitaste a fábrica dos gelados com que nos atiraste.
Veredito - Se alguma vez teve alguma coisa a dar ao clube, já passou o prazo de validade. Não sei como ainda há quem acha que é ele ou o abismo, sem perceber a contradição em que ocorre. Se a obra é tão boa e firme e segura, não tem de ter medo de passar a tocha. Se por outro lado está nisto para se servir do clube, é natural que como qualquer ditador, deturpe a verdade e minta com todos os pêlos do bigode. Ontem já iria tarde.
Partilha noutros estaleiros: